dor no clitóris

Dor no clitóris: descubra o que pode ser

Sentir dor no clitóris não é normal. É preciso ficar sempre atenta quando isso acontecer, visto que pode ser algum tipo de inflamação, trauma ou alergia. Mas calma! Tem algumas coisas que você pode fazer quando sentir qualquer incômodo na região. No entanto, o mais indicado é buscar ajuda profissional, pois somente o médico poderá receitar métodos de tratamento.

Mas qual costuma ser a causa da dor no clitóris? Listamos algumas delas para que você fique atenta.

O que pode causar dor no clitóris?

1. Alergias e uso de produtos químicos na região

Reações alérgicas podem causar ardência no clitóris, além de deixá-lo dolorido. Geralmente toda a vulva fica comprometida, mas o clitóris, justamente por ser mais sensível, se destaca. Além da dor intensa, a mulher ainda sofre com coceira, vermelhidão e ardência no órgão.

O uso de produtos costuma ser o principal causador dessas alergias, como sabonetes, por exemplo. Alguns tipos de papel higiênico ou desodorantes também estão na lista. Em todos os casos, a principal recomendação é procurar ajuda profissional. O ginecologista vai poder indicar um tratamento, seja a base de remédios ou não.

2. Relação sexual intensa

Relação sexual intensa também pode causar dor no clitóris. Isso porque ele se dilata quando está excitado. Portanto, quando a relação é bastante intensa, o órgão pode ficar “machucado”. Em outras palavras, ele fica inchado e dolorido.

Isso acontece também na masturbação, quando o toque é muito agressivo. Desse modo, qualquer estímulo no clitóris deve ser feito com delicadeza para não machucar. A baixa lubrificação também é um fator que pode acontecer durante o sexo. Não necessariamente os movimentos intensos.

3. Vulvodínia

A vulvodínia é uma condição de dor crônica na vulva. Ela costuma vir acompanhada de queimação, mas não deixa a região inchada. Por isso não pode ser detectada logo de cara. De acordo com os estudiosos, essa disfunção é causada por diferentes fatores, como aumento de oxalato de cálcio na urina, disfunção no desenvolvimento do embrião, mudanças hormonais diversas e até neuropatia, ou disfunção nos nervos.

A Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) afirma que a vulvodínia dura pelo menos 3 meses e só é possível identificá-la excluindo outras possibilidades, como as infecções. Sendo assim, o diagnóstico tende a ser difícil e muitas vezes exige uma equipe multidisciplinar.

4. Inflamação no clitóris ou na vulva

A inflamação geralmente é a maior causa de dor no clitóris e pode ser reflexo de uma infecção mais geral na região genital. A herpes é somente um exemplo que, se não for cuidada como deve, pode se estender por toda a vulva, incluindo o clitóris.

A dor vem acompanhada de muita sensibilidade e inchaço no órgão, aumentando assim o desconforto no dia a dia. De acordo com sexólogos, um dos motivos para essa inflamação é a uso de alguns tipos de roupas. Lingeries de tecidos sintéticos são as mais problemáticas. Sendo assim, a maior recomendação é usar roupas feitas em algodão, principalmente calcinhas. Evite também roupas muito justas que gerem atrito com a vulva.

5. Candidíase

De acordo com profissionais da saúde, 3 em cada 4 mulheres terão algum episódio de candidíase durante a vida. Inclusive podem sofrer isso mais de uma vez. Isso porque a candidíase é causada por um fungo.

Esse mesmo fungo faz parte da flora vaginal, e pode ser encontrado no organismo, mas geralmente em pequenas quantidades. No entanto, se esse organismo está debilitado, seja por estresse ou baixa imunidade, os fungos tendem a se multiplicar, causando assim a infecção.

Por ser úmida e quente, a região íntima se torna o ambiente perfeito para a proliferação do fungo da candidíase.  

Como tratar a dor no clitóris?

Como foi apresentado, existem várias coisas que causam a dor no clitóris. Então os cuidados devem ser múltiplos para evitar esse desconforto. Confira a seguir como tratar a dor no clitóris:

  • Higienize a região da forma correta. Mas ao fazer a limpeza, tenha muito cuidado com movimentos bruscos e com unhas muito grandes que possam arranhar ou ferir a pele, já que ela é muito sensível;
  • Use lubrificante ao fazer sexo ou se masturbar! O clitóris é muito delicado e precisa de toques delicados e um bom deslizamento, seja no pênis ou nos dedos;
  • Não use roupas apertadas que pressionem o órgão por muito tempo e não permitem a ventilação na região;
  • Use produtos com pH adequado para a vulva e que sejam hipoalergênicos.

Além de seguir essas dicas que são essenciais para a saúde do clitóris, não se esqueça de manter a visita ao ginecologista em dia, assim se previne qualquer problema, desde os menores até os mais complexos.

Fontes: UOL; Só Delas; Intimus; Dona Coelha; Gino Canesten

Referências Bibliográficas:

CARÁ, V. M.; MAZZOCCHI, L.; MARQUES, F. Z. C. Manejo da dor vulvar – Vulvodínia. 2018. Disponível em: <https://docs.bvsalud.org/biblioref/2018/02/879721/manejo-da-dor-vulvar-vulvodinia-valentina-metsavaht-carau.pdf>. Acesso em 11 ago. 2022.

FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Vulvodínea: atualidades. Disponível em: <https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/763-vulvodinea-atualidades>. Acesso em 11 ago. 2022.

Recomendados para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *