Dogging: descubra como é essa prática sexual ousada

Dogging: descubra como é essa prática sexual ousada

Dogging é uma prática sexual um tanto quanto delicada, e por isso divide opiniões. Esse termo é atribuído ao ato de fazer sexo exibicionista. Ou seja, diferente de outras práticas, esse deve ser feito em lugares públicos. Sendo assim, as pessoas podem ver, mesmo que de forma discreta, e ainda participar.

Mas é extremamente perigoso, falando no âmbito jurídico. No Brasil, por exemplo, sexo em público é proibido e descumprir essa lei pode resultar em multa e até mesmo prisão.

O que é dogging?

Dogging é sexo consentido, mas em lugares públicos e geralmente com plateia. Além de deixar que outras pessoas vejam, a prática ainda permite que elas participem do ato junto ao casal. Essa prática surgiu na Inglaterra, ainda nos anos 70, impulsionando pessoas que queriam transar com desconhecidos.

No entanto, hoje é possível encontrar fóruns e até aplicativos que ajudam na prática. Dá para saber onde, e quais dias e horas são melhores para praticar. Além disso, ainda dá para marcar o encontro com outras pessoas.

Diferente do que você pode estar pensando, o nome da prática não se refere especificamente a “dog”, de cachorro. Mas sim com o fato de transar na rua, coisa que os animais fazem, e que de fato é a essência da prática.

De acordo com Paula Napolitano, sexóloga profissional, o dogging está ligado ao voyeurismo e exibicionismo. “São pessoas que gostam de ter relações sexuais em locais em que pessoas desconhecidas podem estar envolvidas. Então podem estar assistindo ou participando”, disse. O excitante da prática é o risco de serem pegos.

Regras para praticar o dogging

Embora seja algo “clandestino”, existem algumas regras a se seguir. Inclusive, a atenção aos detalhes é muito importante. De acordo com a atriz Bianca Naldy, que pratica dogging com frequência em São Paulo, você deve-se manter atento a:

1. Use sempre preservativo

Lembre-se, o preservativo é essencial para te proteger de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) e também de gravidez indesejada. Então, se você realmente quer fazer sexo, de qualquer jeito, leve sempre mais de um preservativo. Não importa se é homem ou mulher, tenha sempre alguns disponíveis.

2. Evite incomodar os outros

Essa é uma dica óbvia, mas precisa ser destacada! Não fique chamando a atenção de pessoas que não participam do dogging. Evite, também, perturbar a tranquilidade do local escolhido.

3. Jamais faça diante de crianças

Fazer sexo diante de crianças é inadmissível! Então, nada de fazer a prática em locais em que elas possam ter acesso. O mesmo vale para as pessoas que estão apenas passando, desavisadas do que está acontecendo.

4. Colete o seu lixo

Como foi recomendado, use sempre preservativo. Após o uso, recolha tudo o que foi usado e os demais lixos. Jogue em uma lixeira, longe do alcance de qualquer um. Não deixe o local bagunçado.

5. Anonimato obrigatório

Sim, o anonimato é obrigatório no dogging. Então, utilize algum nome inventado para entrar nesse mundo, de forma que proteja sua identidade. E mantenha assim, principalmente para os outros “doggers”. Não revele quem você é ou o que faz no particular.

6. Não vá sozinha!

Se você é mulher, os cuidados precisam ser ainda maiores. Evite ir sozinha a um local de dogging, pois pode não ser seguro. O conselho é: vá acompanhada de um homem de sua confiança. Todo cuidado é pouco!

7. Combine um sinal

Combine com antecedência um sinal ou, como é mais comum, uma palavra chave de segurança. Assim, se for preciso, você pode pedir para parar a prática.

8. Pisque a luz do carro se quiser ser observado

Se estiver no seu carro e quiser ser assistido por alguém que esteja por perto, pisque a luz interior. Agora, se quiser que as pessoas se aproximem para participar, abaixe o vidro e permita que elas entrem na brincadeira. Mas claro, estamos falando apenas das pessoas também interessadas no dogging.

Por que as pessoas praticam o dogging?

A resposta é bem simples: emoção! É a sensação vivida de fazer sexo na rua. O risco de ser pego é prazeroso para algumas pessoas. Desta forma, a adrenalina, junto com a sensação de viver algo “proibido”, podem resultar em orgasmos intensos.

Os praticantes dizem que é uma forma de quebrar a rotina sexual. Claro que nem todo mundo gosta disso! Afinal, o prazer é uma coisa singular. O que é bom para um, pode não ser para o outro. E é justamente por isso que sempre indicamos conversar e alinhar os desejos.

Como são os praticantes de dogging?

Não existe um padrão. Não é possível dizer uma característica que defina os “doggers”, como são chamados. Eles podem ser casais ou pessoas sozinhas que buscam por diversão. Podem ser homossexuais ou heterossexuais, homens e mulheres de todos os tipos.

Qualquer pessoa pode gostar da prática. No entanto, é fato que são pessoas que gostam de se exibir. É bastante comum que os exibicionistas do dogging sejam casais que se mostram transando. Enquanto isso, os voyeurs costumam ser homens. No entanto, pode não ser tão claro assim.

Assim, existem homens que praticam o dogging disponíveis para fazer sexo tanto com mulheres como com outros homens, de forma separada ou junta. Isso acontece mesmo não se identificando como bissexuais ou gays assumidos.

Uma coisa é certa: essa prática não é para conservadores. Pessoas que se atrevem a transar na rua possuem um lado mais aventureiro e de rompimento com as próprias convenções.

Onde as pessoas costumam praticar o dogging?

O dogging tem ganhado força em todo o Brasil e é praticando em vários lugares. Entre os mais comuns estão: praia, travessas, ruas, avenidas, parques e em frente a estádios. São várias as opções para os praticantes.

Mas existe um local mais popular que ainda não listamos: os estacionamentos, principalmente à noite, quando ficam mais isolados e sem pessoas. Porém, alguns desses pontos são procurados durante o dia. Inclusive, há várias pessoas que praticam em grupo.

É possível encontrar os locais mais pertos de você na internet. Além de grupos formados por pessoas, existem sites que indicam os lugares. Você pode ainda acrescentar algum lugar específico na busca e, se houver em sua cidade, você ficará sabendo.

Dogging e a lei brasileira

Embora pareça algo comum aos olhos de muitos, o dogging é crime. De acordo com o artigo 233 do Código Penal Brasileiro, praticar ato obsceno em local público, aberto ou exposto ao público é crime. Se pego, a pena é de três meses a um ano de detenção ou então pagamento de multa.

“É importante lembrar que, além de estarem sujeitos aos efeitos da lei, esses praticantes correm risco de serem alvo de violência, como assalto, por exemplo.”. Essas foram palavras de Victor Hugo de Souza Barreto, doutor em antropologia pela Universidade Federal Fluminense.

Como surgiu o dogging?

Não é possível definir a origem certa desse fenômeno que ganha cada vez mais força. Mas existem relatos de que o termo foi criado em 1853. Mesmo que não seja claro se faça referência ao mesmo ato que conhecemos hoje.

Há teorias de que a prática surgiu com caminhoneiros que encostavam seus caminhões em parques e estacionamento para passar a noite. É dito que as mulheres que trabalhavam como acompanhantes os procuravam para oferecer seus serviços.

Contudo, o dogging também está muito conectado às baladas de Swing e comunidades que praticam a troca de casais. Diversos clubes de baladas liberais procurar criar cenas de dogging para que seus visitantes possam encontrar o prazer assim. Eles levam os próprios carros para dentro das instalações e fazem sexo ali mesmo.

Fontes: Life Style; Metrópoles; O Tempo; Classificados XBR

Recomendados para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *