Espanhola: como fazer e quais são as melhores posições?

Espanhola: como fazer e quais são as melhores posições?

Você provavelmente já ouviu falar em espanhola quando o assunto é sexo. Essa é uma gíria usada para o ato de “penetrar” o pênis entre os seios.

Mas não se engane! A prática não é tão simples quanto parece: e exige sim muita técnica. Por isso, preparamos algumas dicas essenciais para você que quer praticá-la.

O que é espanhola?

Espanhola é o nome dado ao ato de estimular o pênis com os seios. A grosso modo, é bem simples: basta encaixar o pênis entre os seios da parceira enquanto ela sobe e desce. A mulher também pode segurar os seios enquanto o parceiro faz o movimento tradicional de penetração. Mas dá para mudar de posição, e deixar tudo MUITO melhor.

O nome é bastante curioso e muitas pessoas se questionam do motivo. Acredita-se que a prática se chame assim em referência ao estereótipo criado sobre as bailarinas flamencas. Essas dançarinas normalmente utilizam um decote que deixa os seios muito à mostra, além dos leques e castanholas.

Como fazer?

Antes de começar, é muito importante saber que a espanhola é uma experiência incrível. No entanto, é mais importante ainda saber que trata-se de um estímulo visual e sensorial. Além de ser um fetiche masculino comum, os seios são uma zona erógena bem potente. Então, quando bem estimulado, proporcionam prazer também à parceira.

A princípio, invista nas preliminares. Depois de muitos beijos quentes e um bom oral, inicie a prática. Escolha uma boa posição, mas lembre-se de aplicar lubrificante, de preferência neutro, a base de água. O lubrificante ajuda a deslizar melhor o pênis, melhorando assim a experiência.

Embora pareça uma prática simples e que pode ser feita de uma só forma, dá para inovar muito. Combinar a “penetração” nos seios com um oral, por exemplo, deixa tudo mais excitante. E tem mais! Uma coisa que poucos sabem é que dá para fazer espanhola em outras partes do corpo.

De acordo com a sexóloga Michelle Sampaio, ela pode ser feita também no bumbum. Não se trata da penetração anal, mas do movimento de vai e vem entre as duas nádegas.

Dicas para fazer

A espanhola é uma prática simples, fácil de ser realizada, mas dá para deixar ainda bem com alguns cuidados extras, como por exemplo:

1. Use lubrificantes

Por mais que seja uma prática onde não há penetração vaginal ou anal, é importante se lembrar de usar um bom lubrificante, de preferência à base de água. O produto traz diversos benefícios, como deixar a visão mais bonita, por exemplo, já que os seios ficam com um efeito “molhado”. Além disso, ajuda a estimular melhor o pênis.

2. Crie uma atmosfera perfeita

Essa é uma dica muito importante e pode ser usada antes de qualquer atividade sexual. Crie uma atmosfera boa, excitante e sensual. Mesmo que a espanhola seja considerada apenas uma preliminar, não vá direto ao ponto.

Antes de estimular o pênis nos seios da parceira, troque carícias, beijos e abraços. Só comece a espanhola depois de já ter criado um clima.

3. Encaixe perfeito

“Roçar” o pênis durante essa prática é  extremamente prazeroso, mas o ideal na hora de fazer a espanhola é encaixar o pênis entre o espaço dos seios. Isso faz com que se estimule todo o corpo do órgão genital do parceiro, permitindo os movimentos de ida e vinda ou circulares, dependendo de como o casal deseja.

4. Combine a espanhola com o sexo oral

Dependendo da posição que o casal escolher para fazer a espanhola, dá para combinar perfeitamente com o sexo oral. Assim os dois sentem muito mais prazer. Para as mulheres que desejam fazer o parceiro ejacular com o sexo oral, essa é a melhor forma.

Quais as melhores posições para fazer espanhola?

1. 69

Essa é, de longe, uma das posições mais praticadas. Com ela, os dois são estimulados ao mesmo tempo com o sexo oral. No entanto, dá para fazer uma surpresinha especial durante a prática.

Enquanto recebe o oral do parceiro, interrompa-o e encaixe os seios no pênis dele. Agora é só fazer os movimentos, como se ele estivesse penetrando-os.

2. Com ele sentado

Nem sempre ele precisa estar por cima enquanto a parceira está deitada. Então, se for fazer a espanhola com o seu parceiro, peça para que ele fique sentado em uma cadeira ou na beira da cama. Agora ajoelhe-se na frente dele e faça o encaixe dos seios. Nessa posição é a mulher que tem o controle da intensidade, é ela quem ditará o ritmo.

3. Mulher por baixo

Essa é a mais tradicional, mas não deixa de ser extremamente prazerosa. A mulher vai se deitar de barriga para cima. O parceiro, então, vai encaixar o pênis entre os seios e fazer os movimentos de penetração. Como fica com as mãos livres, ela pode pressionar ainda mais os seios para aumentar o prazer.

E quem tem seios pequenos? Como fazer espanhola?

Quando falamos em espanhola, a primeira coisa que vem à mente são seios fartos. No entanto, dá para fazer com os pequenos também. “É só juntar bem os seios e apoiar o pênis com as mãos”, sugere a sexóloga.

É importante lembrar, também, que não é só o parceiro que sente prazer. Toda a mama é uma zona erógena, não somente os mamilos. Então essa troca pode fazer com que os dois cheguem ao ápice do tesão. Mas se não quer fazer assim com os seios pequenos, existe outro método.

Em vez de seguir o processo tradicional, encaixando o pênis entre eles, dá para esfregar a cabeça do pênis nos mamilos. No calor do momento isso será muito excitante para os dois.

Curiosidades sobre a espanhola

1. E na Espanha, como se chama?

Aqui no Brasil e em Portugal, conhecemos a prática como Espanhola. Mas como ela é chamada na Espanha? Bom, por lá eles conhecem o ato de masturbar o pênis com os seios da mulher como “cubana”.

E não é o único diferente! Na Argentina, essa prática é chamada de “turca”. No Reino Unido, de “francesa”, e nos Países Baixos de “russa”. Fugindo dos nomes que envolvem países, muitas pessoas também conhecem o ato como “colar de pérolas”. O nome faz referência ao esperma que muitas vezes cai no pescoço da mulher quando o homem ejacula.

2. Prazer em dose dupla

É comum pensar que só os homens sentem prazer com a espanhola. Mas não é bem assim! Essa técnica pode ser muito prazerosa para as mulheres também. Toda a área da mama é erógena, não somente os mamilos como muitos acreditam.

Assim, a prática oferece uma troca de estímulos em zonas prazerosas. Logo, enquanto o homem estimula o próprio pênis, a mulher está sendo estimulada da mesma forma.

3. Masturbador de seios

Para os homens que desejam fazer uma boa espanhola, mas não têm uma parceira, existe uma solução. Embora não seja a mesma coisa, existem masturbadores especiais no mercado erótico que ajudam! Assim como existem opções que imitam ânus, vaginas e boca, também existem os brinquedos de silicone que representam os seios. Basta fazer o encaixe do pênis e aproveitar.

4. O bumbum pode ser a solução

Quando os seios da parceira são muito pequenos, existem outras formas de fazer espanhola com a mesma sensação. Se o casal quiser inovar, as nádegas podem fazer o papel principal. E não estamos falando da penetração anal, mas sim de encaixar o pênis entre elas, assim como faz com os seios.

5. Fetiche

Embora seja uma prática comum, que qualquer casal pode fazer para sair da rotina sexual, existem alguns casos em que há fetiches específicos por trás da espanhola. Acontece quando, na cabeça do homem, ele deseja trocar a penetração “tradicional” por estímulos em outras partes do corpo da mulher.

Esses homens sentem ainda mais prazer ao transar com seios do que realizando a penetração anal e vaginal. Outra tara que pode estar ligada à espanhola, mesmo que de forma inconsciente, é gostar de observar o próprio pênis durante o sexo.

Agora que você já sabe tudo sobre espanhola, conheça também as 7 melhores posições para fazer sexo anal.

Fontes: Metrópoles; Dona Coelha; Minha Amiga me Disse; Metrópoles

Recomendados para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *