Qual é a diferença entre BDSM e fetiche?

Qual é a diferença entre BDSM e fetiche?

BDSM e fetiche são coisas diferentes! Muitas pessoas confundem e até podem dizer que um é sinônimo do outro, mas não é bem assim. A falta de conhecimento a respeito desse universo faz com que essa crença se fortaleça. No entanto, é possível incluir alguns fetiches no BDSM.

O assunto é um pouco complexo, visto que há muita confusão. Diante disso, decidimos trazer a explicação mais profunda para explicar como BDSM e fetiche são coisas diferentes.

Quais são as diferenças entre BDSM e fetiche?

O termo BDSM é conhecido por muitos. Diversas produções abordam a prática, como a franquia “50 Tons de Cinza”, por exemplo. A sigla corresponde aos termos Bondage, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo. Embora se pareça com algum tipo de fetiche, não é!

De acordo com Dommenique Luuxor, uma das precursoras da prática BDSM no Brasil, não é correto afirmar que a prática seja sinônimo de fetiche. Segundo ela, o BDSM entra no meio kinky, que é a forma denominar práticas não normativas. Ou seja, algo praticado, colocado, de fato, em ação.

“BDSM é uma prática onde podem se incluir fetiches, mas nela a pessoa está praticando algo. Os corpos estão em ação, pode ser através de bondage, dominação, submissão ou outras. BDSM é uma relação. Fetiche, no entanto, é outra coisa, ele irá atribuir um valor quase sagrado, erótico e abstrato a algo. Funciona como se fosse uma operação mágica, inclusive, a origem da palavra vem de feitiço”, disse.

Sendo assim, podemos concluir que o fetiche é algo que nos atrai, ou seja, o gosto por algo. Pode ser algo material, como pés, ou mais amplo, como sexo no elevador. “Uma atração totalmente ilusória e louca por uma coisa que não apresenta nenhum poder, ou seja, é só uma matéria”, disse Dommenique.

As pessoas costumam associar os termos por vários motivos. Um deles é que, durante uma sessão de BDSM, os fetiche são gatilhos usados para alcançar o prazer. Uma roupa de látex, por exemplo, é um desses fetiches, assim como um chicote ou salto.

Como praticar?

Praticar BDSM não é algo simples. Diferente do que muitos imaginam, é preciso seguir algumas regras e a prática oferece sim alguns riscos. A princípio, é importante saber se realmente quer se aventurar, ou seja, explorar esse universo mais a fundo.

Então, você pode começar buscando referências além do que é mostrado em produções audiovisuais. Leia, entenda e compreenda tudo que envolve o BDSM. É possível encontrar diversos textos e relatos que ajudam a alinhar as expectativas e tornar a experiência prazerosa.

Mas um dos principais pontos é respeitar o próprio corpo e o corpo do outro. Tudo precisa ser feito com consentimento, com diálogo e acima de tudo, paciência. Quando for iniciar, é importante que o casal escolha um “safeword”, ou seja, um código de segurança.

A palavra escolhida é usada quando o dominador ultrapassa os limites. Então ela é dita para interromper a prática. Os praticantes do BDSM respeitam o código de segurança acima de tudo. Mas a principal dica para quem deseja começar é confiar na outra pessoa. Recomenda-se conhecer bem e estar com os desejos alinhados.

Fontes: Glamour; Dom Barbudo

Recomendados para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *